sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita - 08 02 2013


Homilia 08 02 2013
 
As leituras de hoje nos orientam como deve ser um verdadeiro Cristão, um Cristão autentico, que persevera no amor. Perseverar no amor é difícil, mas não é impossível e podemos demonstrar isso em pequenos gestos em nosso dia a dia, através da humildade, hospitalidade, generosidade, solidariedade, senso de justiça... é preciso que abramos nossos corações e não nos deixemos levar por coisas sem valor que em nada nos acrescenta espiritualmente.
 
Que em nossa missão Evangelizadora, seguidores de Cristo, possamos anunciar com amor, a vinda de Jesus.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita 07 02 2013

Homilia 07 02 2013

“Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura.

O Evangelho de hoje vem nos falar a respeito de “renúncia”, “desapego”.

Olhando para dentro de cada um de nós, podemos observar que por vezes somos pessoas com uma forte tendência ao apego, e apego exagerado, tanto de pessoas quanto de coisas, que acabam, inclusive, por expulsar Deus do lugar D´Ele, dentro de nosso coração.

Como humanos, ainda que se diga que temos um enorme coração, na verdade temos um coração limitado.  É o amor aos filhos, à família, aos amigos, a Deus... daí, a partir de começar também a encher o coração de bens matérias, com o excesso de bens às pessoas que nos cercam, o amor a Deus vai ficando sem lugar, vai ficando distante, pois a nossa atenção volta-se para o que está mais próximo de nós.

Através da Palavra de hoje, vemos que a cura, a restauração, a libertação, se inicia a partir do desapego às coisas materiais: não leveis duas túnicas, não leveis dinheiro, enfim, que partam livres deixando para trás o que lhes poderiam desviar atenção do que deveriam fazer.

O apego exagerado de certa forma nos escraviza. Vejamos o ciúme, que nada mais é o apego exagerado à pessoas: ciúme do marido, dos filhos, dos amigos. E o exagero deste apego por vezes desgasta uma relação. E quantas vezes compramos coisas desnecessárias e deixamos em um canto da casa, sem utilizar, mas também sem deixar que joguem fora ou doem? E onde fica a fé na provisão de Deus? Ele não nos provê do necessário para a subsistência? É preciso ser livre. É preciso se desfazer de determinadas coisas, principalmente porque esse apego pode nos fazer mal. O que importa nessa vida é termos o necessário, sob pena de nos tornar escravo das pessoas e coisas. É preciso rever este conceito, é preciso ser liberto dessas amarras.

Peçamos hoje a Deus que possamos ser livres e como filhos e filhas de Deus, levar somente o necessário e vivendo uma vida completamente em Deus, dar testemunho das maravilhas que Ele opera em nós. –
 
Pe. Marcelo Cretton

 

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita - 06 02 2013

Homilia 06 02 2013


As leituras de hoje nos mostra a importância em se observar os mandamentos de Deus e segui-los.

Não raro termos o costume de culpar a Deus pelas falhas que acontecem em nossa vida. Contudo, se conhecêssemos a Palavra de Deus e a seguíssemos, muitas coisas verdadeiramente não ocorreriam. A Palavra de Deus nos educa a uma vida cristã, uma vida com dignidade, com respeito ao próximo, enfim, uma vida de Paz interior e exterior. Mas desprezamos a Palavra, não querendo escutá-la ou segui-la e quando nossas vontades dão erradas, colocamos a culpa no Senhor.

No evangelho, vemos um Jesus que foi ensinar, educa em uma sinagoga. Mas o povo não queria ouvi-lo, o que fez com que não conseguisse realizar nenhum milagre na sua própria comunidade. Primeiro em razão de sua existência, afinal a população o via como um deles e não como filho de Deus. Conheciam sua mãe e seu pai terrenos. Segundo, em razão dos milagres. O povo queria ver os milagres de Jesus, tomando-o por curandeiro, milagreiro. Mas para Jesus, o milagre, a transformação, deve vir depois da Palavra aceita. Por isso para Jesus é mais importante sim, educar, ensinar ao povo o Caminho do Reino.

Para parte do povo, não existia essa dificuldade; o pobre, o marginalizado, o excluído, acreditavam em Jesus, conheciam a Jesus e sabiam que os milagres aconteciam após seus ensinamentos.

Jesus tem muito ainda a evangelizar e devemos nós, agora, ser a boca de Jesus. Por vezes nos acomodamos em nosso viver, dizendo inclusive que vamos como deus quer. Mas Jesus não foi acomodado. Seus discípulos não foram acomodados. Não podemos ser acomodados no serviço ao Senhor. A partir da Palavra de Deus, devemos também seguir a Jesus, ensinando e educando na fé.

Pe. Donato Vasconcellos, Missionário da Sagrada Família





terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita - 05 02 2013

Homilia 05 02 2013



O Evangelho de hoje é uma verdadeira lição de fé. Nas diversas curas promovidas por Jesus, vemos que muitas pessoas buscavam N´Ele apenas os milagres, não necessitando que se acreditasse ser Ele filho de Deus, ou não. A nos ser relatada a passagem da mulher que toca em Jesus no meio de uma multidão que o seguia podemos observar uma diferença entre "tocar" e "esbarrar".

Esbarrar, diversas pessoas nos esbarra diariamente em meio a multidões, mas só nos "toca" quem nos (re)conhece. Essa mulher foi tocada no coração pela fé; ela reconhece a Cristo como Senhor e recebe a sua graça.

Muitas vezes estamos perto de Jesus, escutamos Ele falar, mas não o "tocamos", simplesmente esbarramos. Conhecer a Jesus também muitos "conhecem". Até o inimigo "conhece" Jesus e seus feitos, mas REconhecer que Ele é o Senhor e Salvador, poucos o fazem.

Hoje, peçamos a Deus com fé que Ele nos ensine a, no meio da multidão, do burburinho, da correria do dia a dia, a não somente escutar a sua voz, a não somente esbarrar N´Ele, mas tocar N´Ele, para receber a cura, a restauração que nos transforme em uma Nova Criatura -

Pe. Marcelo Cretton



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita - 04 02 2013

Homilia 04 02 2013


O evangelho de hoje nos apresenta Jesus e um homem há tempos endemoniado, possuído por uma "legião". Na linguagem militar, em Roma, uma legião era formada por 6.000 homens. Esta foi a linguagem usada para enfatizar que o homem estava possuído talvez não por 6.000 demônios, mas por muitos.

Somos constantes influenciados pelo pecado, pelas coisas do mal, e muitas vezes nem nos apercebemos disso. As coisas malignas encontram-se disfarçadas de coisas belas e precisamos estar atentos para nos proteger. As fofocas, as mentiras, a inveja, são alguns dos males que nos atormentam. Mas precisamos ter certeza que nossa fé não é uma fé solitária. Os anjos e Santos de Deus estão ao nosso lado para nos ajudar. Precisamos ter a humildade de reconhecer o nosso erro, que somos influenciados e facilmente nos deixamos influenciar, e assim, iniciar o processo de salvação, de libertação.

Que possamos resistir ao inimigo com muita oração e fé e assim anunciar ao mundo que o Senhor nos liberta, que Ele nos ama. Que o Senhor hoje nos mande uma legião, mas uma legião de anjos e Santos para nos proteger de todo o mal. Amém.


Pe. Marcelo Cretton



sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Homilia Santa Rita - 01 02 2013

Homilia 01 02 2013


Em nossa caminhada muitas vezes nos deparamos com ciladas que nos levam ao desânimo, calúnias e outros momentos que nos tiram a paz. Não raro passarmos por esta experiência. Mas hoje somos chamados a reagir pois como homens de fé, as adversidades não nos podem abater.

Devemos responder positivamente a generosidade de Deus para conosco e espelhar nossa fé aos irmãos, a fim de que eles também possam ter a oportunidade de vivenciar as bençãos do Senhor. Que nossa fé seja como um grão de mostarda. Pequena aos olhos do mundo que insiste em tentar nos desviar. Mas que espalhada na terra, cresça, germinando e produzindo frutos nos corações cansados e desanimados.

Pe.Wagner Toledo



quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Homilia Santa Rita - 31 01 2013

Homilia 31 01 2013


Hoje somos convidados a penetrar além da cortina do Santuário.

Necessidade de empenho em uma experiência profunda de fé que nos coloca em intimidade com o Senhor.

Jesus é o Santuário vivo que devemos penetrar. Ele é o novo caminho a ser seguido. Nele somos estimulados a nos aproximar de coração sincero para receber a sua graça. Devemos compreender essa intimidade e permanecer como lâmpadas acessas, a fim de que o mundo que nos vê, também possa experimentar a maravilha de entrar e permanecer neste Santuário.

Sejamos luz do mundo e, aderindo ao projeto de Jesus juntos aos irmãos, aprendamos a nos amar e apoiar mutuamente.

Pe. Luiz Maurício