terça-feira, 25 de maio de 2010

Pentecostes

Não consigo conter a alegria do meu Pentencostes e a saudade que sinto de tudo o que vivi nesta última semana de oração pela unidade. Ainda quero escrever aqui sobre isso, mas falta-me algum tempo. Mas o farei. E se alguém tiver interesse, me cobre.

Hoje de uma forma especial, escrevo pois as leituras propostas para este dia, me tocaram muito: 1Pe:1,10-16; Sal:98,1-4 e Mc:10,28-31.

28. Pedro começou a dizer-lhe: “Olha, nós deixamos tudo e te seguimos”.
29. Jesus respondeu: “Em verdade vos digo: todo aquele que deixa casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos e campos, por causa de mim e do evangelho,
30. recebe cem vezes mais agora, durante esta vida — casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições —, e no mundo futuro, vida eterna.
31. Muitos, porém, que são primeiros, serão últimos; e muitos que são últimos serão primeiros”.

Ontem víamos que um jovem chegava a Jesus e lhe perguntava sobre o que seria preciso fazer para que pudesse alcançar a vida eterna. Quando Jesus enumera os mandamentos, o jovem lhe diz que isto já fazia, desde sua mocidade. Jesus então o abraça e lhe diz que somente lhe falta uma coisa: vender tudo o que tinha e dar aos pobres e assim, garantir seu tesouro no céu. Diz a bíblia que o jovem retirou-se muito triste, porque tinha muitos bens.



A passagem de hoje nos mostra uma preocupação de Pedro com o futuro, e nos mostra que ele começa a interpelar Jesus, dizendo-lhe que ele e os outros discípulos haviam largado tudo e o seguido. Jesus então lhes responde dizendo-lhes que aquele que larga tudo para trás, receberá cem vezes mais. Nesta vida, em sofrimento, com perseguições, mas no futuro, a vida eterna.



Queridos irmãos, amigos. As leituras de hoje nos chamam a um exercício de conversão. A vivermos uma nova vida em Cristo, buscando a santidade, porque nosso Pai é Santo, como em 1 Pedro, 1, 15-16.



A princípio, as palavras de Jesus podem parecer estranhas e duras. Largar tudo, deixar tudo para trás, pai, mãe, filhos, irmãos, terras, para poder alcançar a vida eterna, as vezes pode parecer uma provocação, já que Jesus dizia que os ricos não alcançariam o reino. Se assim o fosse, poderíamos dizer, então, que o pobre já tinha garantido o sue lugar. Mas não é assim que devemos ver. “Deixar tudo para trás” é viver uma nova vida, é se despir de tudo aquilo que nos impede de ter uma vida de santidade. É deixar para trás o “velho homem” e se converter aos princípios cristãos, é buscar a santidade pois nosso Pai é Santo. Não é o fato de deixar pai, mãe, vender tudo o que tem, mas, sim, de se preocupar mais com o “servir” do que ser “servido”. Jesus veio para servir, para ser servo. Se buscamos a santidade, se buscamos a vida eterna, é por este caminho que devemos nos colocar: servir. Dar tudo o que tem aos pobres, tornaria estes diferentes de nós e somente trocaríamos de lugar, mas ao dividirmos o que temos, ao ajudarmos aos que precisam, diminuímos a margem que nos distancia e estamos dando nossa prova de amor.



Pedro vem nos dizer hoje – 1 Pedro, 1, 10-16 que, uma vez seguindo a Jesus, como filhos obedientes, não devemos olhar para trás, não devemos praticar mais atos que praticávamos, ter os valores que antes tínhamos, que devemos nos esquecer de tudo o que nos motivava a viver uma vida fraca, passageira, pois que tudo aquilo fazia então, parte de um passado, do tempo em que ainda não conhecíamos as Palavras de Cristo. Agora que sabemos e estamos alertados para o que precisamos fazer para alcançar a vida eterna, devemos proceder de maneira a buscar sempre a santidade, a mudar nossos hábitos e costumes.



Largar pai e mãe é não depositar sua salvação nos homens, naqueles que lhes são caros. O nosso porto seguro deve ser sempre Jesus. É NEle que devemos buscar a salvação, é Nele que devemos ter apego, é Ele o nosso provedor, a nossa família. Largar tudo para trás e seguir a Cristo é muitas das vezes uma grande dificuldade para nós, mas é um exercício contínuo pela busca da santidade. Diariamente ocorrem diversos fatores que nos desencaminha, que nos tira o sossego, que nos usurpa a paz que recebemos. Jesus vai nos dizer isto no versículo 29, ao se reportar às perseguições que sofreríamos mas, se buscamos a vida eterna, devemos estar vigilantes, pois no futuro a teremos. Isto é promessa de Cristo. E se temos fé, ainda que do tamanho de um grão de mostarda, receberemos nosso galardão no céu.



Portanto amados, busquemos hoje refletir sobre nossa vida atual, vida de agora cristãos, convertidos ao cristianismo, seguidores de Cristo. Não olhemos para o que deixamos para trás. Nossa vida antiga já não mais deve existir. Vícios de linguajar, desespero, arrogância, mesquinharia, soberba, impaciência, intolerância, etc., tudo isso é coisa do velho homem. Se pela graça de Jesus uma nova criatura surgiu, esta agora deve ser sua caminhada: a busca pela santidade, pela vida eterna.



Eu preciso muito me escutar escrevendo sobre isto.



Na paz de Cristo, nosso único Senhor e Salvador,

Um comentário:

  1. DEixa de bobagem e vá estudar. Jesus cristo nunca existiu.

    ResponderExcluir