segunda-feira, 6 de julho de 2009

Talita cum! Levanta-te

Salve, amados de meu Pai,

Iniciamos mais uma semana de vitória em nossas vidas, pois cremos que Jesus vive e voltará. Esta é nossa promessa. È a promessa da aliança que Deus todo Poderoso fez conosco, por meio de Seu filho amado. O cordeiro imolado de Deus.

A reflexão de hoje vamos buscar no Evangelho de Jesus, segundo Mateus:9,18-26, proposto pela nossa Santa Igreja.

18. Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, prostrou-se diante dele e disse: “Minha filha faleceu agora mesmo; mas vem impor a mão sobre ela, e viverá”.
19. Jesus levantou-se e o acompanhou, junto com os discípulos.
20. Nisto, uma mulher que havia doze anos sofria de hemorragias veio por trás dele e tocou na franja de seu manto.
21. Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no seu manto, ficarei curada”.
22. Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante.
23. Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão agitada,
24. e disse: “Retirai-vos! A menina não morreu; ela dorme”. Mas eles zombavam dele.
25. Afastada a multidão, ele entrou, pegou a menina pela mão, e ela se levantou.
26. E a notícia disso espalhou-se por toda aquela região.


Temos dois fatos memoráveis nesta passagem. Começa em Jesus sendo chamado por um chefe da sinagoga para curar sua filha, sem saber que antes de isto acontecer ela já havia morrido, passando pela mulher doente que, em meio à multidão, toca as veste de Jesus e fica curada.

Vejamos a passagem do chefe da sinagoga. Sinagoga era a casa de oração dos Judeus e seu chefe era quem presidia os cultos, portanto, fiel aos mandamentos e profundo conhecedor das leis de Deus. Mas, com o coração tomado de fé, vai até Jesus e pede que cure sua filha. Jesus tocado pelo pedido se coloca a caminhar até a casa do homem. Nisto, vem ao encontro deles, pessoas que dizem ao chefe que sua filha já havia morrido. Mas Jesus diz ao homem para ele continuar com sua fé. Chegando a casa do chefe da sinagoga, Jesus manda todos se retirarem e chama a menina à vida: “talita cum!”, que quer dizer levanta-te e ela se colocou de pé, para assombro de todos e alegria de seus pais.

No decorrer deste fato, havia uma mulher doente já há anos e que, tomada pela fé, se mete em meio a uma multidão e consegue tocar nas vestes de Jesus e fica curada, tão somente por esta sua ação. Relato interessante vai nos fazer o evangelista Lucas quando diz que Jesus, mesmo diante de tanta gente que o cercava ainda pergunta “quem” o havia tocado, já que teria sentindo o poder esvaindo-se (saindo) dele naquele momento. A mulher, que até então não havia se manifestado por ter medo da que algo pudesse lhe acontecer caso viessem a saber que foi ela quem tocou a Jesus, se apresenta e recebe d`Ele a Sua benção pela fé demonstrada.

Os relatos desta passagem nos chamam a ter fé. Essa palavrinha de duas letras, tão pequenina, mas de uma força descomunal e que não tomamos por decisão de vida. Aliás, fé, depois de amor, é a palavra de ordem que mais encontramos nas Escrituras. E a falta dela sempre foi presente nos corações humanos. Desde a libertação do povo de Israel do Egito, onde muito se rebelaram por descrer nas promessas, até mesmo na descrença de que Jesus ressuscitaria no terceiro dia. A falta de fé sempre foi uma problemática na vida dos filhos de Deus. Quem nunca na vida já passou por situações na qual duvida inclusive da existência de Deus?

Todos nós sempre passamos por dificuldades em nossas vidas. Sejam dificuldades financeiras, amorosas, de relacionamento familiar, no trabalho, etc. Enfim, em tudo que fazemos poderá aparecer uma dificuldade. Mas para que tudo seja satisfatório é preciso que ajamos com paciência e façamos com amor e dedicação. Mas certamente não basta isso. É preciso que tenhamos dentro de nós a certeza de que nossos atos irão refletir satisfatoriamente no que nos propusermos a fazer. Esta certeza é o que podemos chamar de fé. Ainda não temos nenhum trabalho realizado, de concreto, visível, mas temos a certeza de que, se nos colocarmos de bom grado a fazê-lo, iremos concretizá-lo, iremos vê-lo pronto, palpável.

E assim devemos fazer com relação a Deus. Não vemos Deus, mas devemos crer em suas promessas, na sua aliança. Devemos ter fé de que tudo se realizará pelas Suas graças para com nós, seus filhos amados. Deve haver uma relação de intimidade com Deus, de confiança naquele que tomamos por nosso Senhor, Todo Poderoso. Sem isso, sem esta fé, nada que venhamos a tentar produzir terá resultado, ao menos, uma solução satisfatória.

Não devemos ter medo de apresentar a Deus nossos problemas, pedirmos Seu auxílio para nossos males, nossos distúrbios. E ainda que estejamos mortos, Ele nos chamará a ficar de pé, a reagir perante nossa queda: talita cum!. Isto é ter fé. É, depositar em nosso Deus nossas esperanças de uma vida melhor, de uma vida digna. Mas também é trabalhar para isso. Não adianta pedir e esperar. É pedir e trabalhar para isso, chamar Ele a caminhar conosco indo de encontro ao problema, para vermos solucionado.

Temos problemas financeiros? E o que fazemos? Sentamos e choramos? Ou pedimos a Deus o auxilio e procuramos resolver nossos problemas, procurando gastar menos, procurando saldar as dívidas progressivamente? Problemas no relacionamento? E o que fazemos? Brigamos com a pessoa que está ao nosso lado ou procuramos rever aonde estamos errando e buscamos a paz, a unidade.

Talita cum! Levanta-te. Levantemo-nos, pois neste dia. Nos coloquemos de pé diante de nossos problemas. Peçamos a Deus a solução deles e trabalhemos para os solucionarmos. Mesmo que “adoecidos” pareçamos “mortos”, se temos fé, se cremos no Altíssimo, devemos reagir e lutar. De certo a nossa fé nos salvará.

Na Paz de Cristo e no amor de Maria.

3 comentários:

  1. Deus o abençoe, Em Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

    José Adilson Marques Bevilacqua

    ResponderExcluir
  2. Jesus Cristo é salvação eterna !!!!!!!

    ResponderExcluir